Nova Matéria a ser inserida na Escola – Educação Ambiental

A espécie humana sempre interagiu com o meio ambiente e o modificou, os problemas ambientais não são novos. No entanto, o que torna a situação atual particularmente preocupante é a aceleração dessas modificações, sua natureza maciça e a universalidade de suas consequências.

Educação ambiental

Os problemas ambientais não parecem mais independentes um do outro, mas constituem elementos que se relacionam configurando uma realidade diferente da simples acumulação de todos eles. Portanto, hoje podemos falar mais do que apenas problemas ambientais, enfrentamos uma crise ambiental real e a gravidade da crise se manifesta em seu caráter global.

No entanto, não podemos nos limitar a perceber esta crise como um conflito em que certas abordagens ao mundo e à vida são inadequadas. Se estamos cientes de que apenas em um ambiente de crise as soluções inovadoras são consideradas e desenvolvidas, parece claro que temos diante de nós o desafio de encontrar na crise uma ocasião para “reinventar” criativamente nossa maneira de entender e se relacionar com o mundo.

Mas essas soluções não podem ser apenas tecnológicas, o desafio ambiental representa um desafio aos valores da sociedade contemporânea, pois esses valores, que sustentam as decisões humanas, estão na raiz da crise ambiental.

Nesse contexto, a educação ambiental tem um papel importante a desempenhar ao enfrentar esse desafio, promovendo “aprendizado inovador”, caracterizado por antecipação e participação que permite não apenas entender, mas também envolver-se naquilo que queremos entender.

Educação Ambiental: uma resposta à crise ambiental

Desde os anos sessenta, quando o modelo de crescimento estabelecido foi questionado e o impacto no meio ambiente foi denunciado, os diagnósticos feitos sobre a crise ambiental foram numerosos. Pouco a pouco, o ser humano começa a fazer uma nova leitura do ambiente em que está imerso e uma nova visão de mundo, uma nova percepção da relação humano-sociedade-meio, está surgindo.

Em alguns dos relatórios e manifestos que aparecem ao longo desses anos, a necessidade de adotar medidas educacionais (entre outras) para conter a crescente deterioração do planeta.

Concepção atual do Meio Ambiente

O conceito de meio ambiente evoluiu de tal forma que passou fundamentalmente de considerar seus elementos físicos e biológicos para uma concepção mais ampla, na qual se destacam as interações entre seus diferentes aspectos, com ênfase nos aspectos econômicos e socioculturais.

Educação ambiental

Portanto, hoje não apenas os problemas clássicos relacionados à poluição, derramamentos, etc., mas também outros mais ligados a questões sociais, culturais, econômicas …, finalmente relacionados ao modelo de desenvolvimento, são identificados como ambientais.

De fato, atualmente a ideia de meio ambiente está intimamente ligada à de desenvolvimento e essa relação é crucial para entender o problema ambiental e abordar a ideia de desenvolvimento sustentável que garanta uma qualidade de vida adequada para as gerações atuais e para o meio ambiente. os futuros

Dessa maneira, o ambiente pode ser entendido como um macrossistema formado por vários subsistemas que interagem entre si. Quando há uma falha nessas interações, surgem problemas ambientais.

As relações entre educação e meio ambiente não são novas, no entanto, a novidade que a educação ambiental traz é que o meio ambiente, além dos meios educacionais, do conteúdo a ser estudado ou do recurso didático, aparece com entidade suficiente para se constituir em finalidade e objeto. de educação

Dessa forma, embora suas raízes sejam antigas, a educação ambiental, como a entendemos hoje, é um conceito relativamente novo que vem à tona no final da década de 1960.

Essas abordagens atingem rapidamente o reconhecimento institucional. Por exemplo, na arena internacional, a Organização das Nações Unidas tem sido, por meio de suas organizações (principalmente UNESCO e PNUMA), o principal motor de estudos e programas relacionados à educação ambiental.

No entanto, não podemos reduzir esse processo de desenvolvimento ao seu lado institucional. É necessário reconhecer os esforços de inúmeras entidades, organizações não-governamentais e educadores que contribuíram, às vezes de forma anônima, não apenas para a conceituação da educação ambiental, mas, sobretudo, para sua implementação.

Funções da Educação Ambiental

Um objetivo fundamental da educação ambiental é garantir que indivíduos e comunidades compreendam a natureza complexa do ambiente (resultante da interação de seus diferentes aspectos: físico, biológico, social, cultural, econômico, etc.) e adquiram conhecimento , valores e habilidades práticas para participar de forma responsável e eficaz na prevenção e solução de problemas ambientais e no gerenciamento da qualidade ambiental.

Educação ambiental

A educação ambiental é fundamental para entender as relações entre os sistemas naturais e sociais, bem como para obter uma percepção mais clara da importância dos fatores socioculturais na gênese dos problemas ambientais.

Nesse sentido, deve promover a aquisição de consciência, valores e comportamentos que favoreçam a participação efetiva da população no processo de tomada de decisão. A educação ambiental assim entendida pode e deve ser um fator estratégico que afeta o modelo de desenvolvimento estabelecido para redirecioná-lo à sustentabilidade e à equidade.

Portanto, a educação ambiental, em vez de se limitar a um aspecto específico do processo educacional, deve se tornar uma base privilegiada para o desenvolvimento de um novo estilo de vida. Deve ser uma prática educacional aberta à vida social, para que os membros da sociedade participem, de acordo com suas possibilidades, na complexa e solidária tarefa de melhorar as relações entre a humanidade e seu meio ambiente.

Objetivos da Educação Ambiental

Consciência: Ajude pessoas e grupos sociais a obter maior sensibilidade e conscientização do meio ambiente em problemas gerais e relacionados.

Conhecimento: Ajude pessoas e grupos sociais a adquirir uma compreensão básica do meio ambiente como um todo, dos problemas relacionados e da presença e função da humanidade nele, o que implica uma responsabilidade crítica.

Atitudes: Ajude pessoas e grupos sociais a adquirir valores sociais e um profundo interesse no meio ambiente que os leva a participar ativamente de sua proteção e melhoria.

Habilidades: Ajude pessoas e grupos sociais a adquirir as habilidades necessárias para resolver problemas ambientais.

Capacidade de avaliação: Ajude pessoas e grupos sociais a avaliar medidas e programas de educação ambiental com base em fatores ecológicos, políticos, econômicos, sociais, estéticos e educacionais.

Participação: Ajude as pessoas e os grupos sociais a desenvolver seu senso de responsabilidade e a tomar consciência da necessidade urgente de prestar atenção aos problemas ambientais, para garantir que medidas apropriadas sejam tomadas nesse sentido.

Gestão ambiental

Anteriormente, a natureza estratégica que a educação ambiental tem no processo de desenvolvimento sustentável foi levantada. No entanto, é claro que a ação educacional por si só não é suficiente para responder ao desafio ambiental.

“Para contribuir efetivamente para a melhoria do meio ambiente, a ação da educação deve estar vinculada à legislação, políticas, medidas de controle e decisões que os governos adotam em relação ao ambiente humano”. (UNESCO)

Educação ambiental

A educação é, ao mesmo tempo, um produto social e instrumento de transformação da sociedade em que está inserida. Portanto, os sistemas educacionais são ao mesmo tempo agente e resultado de processos de mudança social.

No entanto, se o restante dos agentes sociais não agir na direção da mudança, é muito improvável que o sistema educacional transforme a estrutura complexa na qual estruturas socioeconômicas, relações de produção e troca, padrões de consumo e , resumindo, o modelo de desenvolvimento estabelecido.

Isso implica a necessidade de incluir programas de educação ambiental no planejamento e nas políticas gerais, desenvolvidos por meio de participação social efetiva. Muitas vezes ele cai na tentação de realizar ações atraentes, com uma encenação colorida e grandes movimentos de massa, que não comprometem muito ou questionam a administração realizada.

A educação ambiental deve ser integrada à gestão (“a melhor educação é uma boa gestão”) e não deve ser usada como justificativa para possíveis deficiências.

O desafio que temos hoje é promover a “transição” rumo à sustentabilidade e à equidade, sabendo que essa transição requer profundas mudanças econômicas, tecnológicas, sociais, políticas e educacionais. Assim, mesmo reconhecendo o enorme potencial da Educação Ambiental, não podemos transformá-la em uma mesa de salvação falsa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*